"Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui?
Isso depende muito de para onde queres ir - respondeu o gato.
Preocupa-me pouco aonde ir - disse Alice.
Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas - replicou o gato."

Lewis Carroll






quarta-feira, 28 de abril de 2010

vai encarar? Vou!

Sempre fui uma guria determinada, mesmo estando confusa no "modo de fazer", sabia onde queria chegar. Também, sempre preferi o risco ao medo, mas como a cada dia recebemos lições novas, percebi que existem momentos que precisamos nos preservar... Sabe quando tu ouvi mais de mil vezes a mesma coisa e mesmo assim decide fazer do seu modo, ou seja, decide seguir o coração ao invés da razão??? Sou muitooo assim, mas como já disse RAUL, "...quem não tem visão bate a cara contra o muro.." e já ando meio despedaçada pra ousar crer somente em palavras. Lógico, alguns que vão ler este post podem imaginar ao que me refiro, outros não, mas tenho certeza que essa constatação serve pra muitas situações da vida, situações onde vemos que por pior que seja, é preciso mudar o rumo. Digo mudar o rumo, no sentido de mudar o modo de fazer, mas não a receita, ou seja, o objetivo não precisa ser apagado, até porque quando desejamos algo não conseguimos fazê-lo facilmente. Continuo confusa em relação ao modo de agir, mas o mais importante é que decidi mudá-lo, pois a vida é muito bela pra se observar as mesmas coisas, frequentar os mesmos lugares, sofrer pelas mesmas situações, enfim...quero crer em ações e não somente em palavras, pois elas, mesmo desajeitadas e espontâneas demais, são a demonstração da voz do coração, que vale mais do que mil palavras soltas e vazias...as vezes as palvaras tem muito peso, se eu não acreditasse nisso não utilizaria um blog, por exemplo hehe, mas percebo que tudo o que fica só nelas, acaba se perdendo, pois somos resultado das nossas escolhas, e escolha sem ação, não se concretiza...
Oo
Talvez eu esteja exigindo demais, mas acho que é isso mesmo, o blá blá blá quando não acontece é papo furado...sinceramente, gostaria de não precisar crer nisso e poder continuar na minha "bolha", crendo naquilo que me faz mais feliz...mas sei que por mais foooda que seja, ver a realidade é libertar-se de processos ilusórios, que inevitavelmente, um dia acabam.

Poiiis é...BJOMELIGAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

Um comentário:

Antônio disse...

É como eu sempre digo: o negócio é ser feliz. Se tu tá contente com tua postura e não prejudica ninguém com ela, vá em frente. Algumas pessoas só se dão conta das perdas depois que elas já se foram, então talvez seja o momento de deixar o tempo agir nos corações alheios e seguir o teu caminho com naturalidade, como, pelo jeito, tu tem feito muito bem.

De resto, a vida e o tempo se encarregam de ajeitar tudo.

Beijo!