"Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui?
Isso depende muito de para onde queres ir - respondeu o gato.
Preocupa-me pouco aonde ir - disse Alice.
Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas - replicou o gato."

Lewis Carroll






segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Viva a diversidade ;)

A mesmice é chata. Neste finde revi pessoas queridas das quais eu estava com saudade. Passamos o sábado contando as novidades, comendo, rindo, aconselhando e, claro, planejando a noite. Para muitos decidir a noite na capital é simples, para não ter "erro" é só ir onde esta bombando, mas nós, queríamos algo mais interessante, nem tão caro,divertido e, diferente do habitual.
A busca foi intensa e cheia de divergência, mas decidimos: Vamos a uma festa GLS, haha. Certo que esses ambientes tem sido bem mais frequentados e não são novidade pra grande parte da galera, principalmente jovem, mas para nosso trio maravilha era algo novo. De banho tomado e roupa impecável nos aventuramos, literalmente, para a noite, digo isso pois sair comigo na direção é algo emocionante por si só hehe Decidimos chegar cedo, pois sempre nos atrasamos Oo e lá estávamos às 23:30. Para aumentar a curiosidade e o frio, o local ainda estava fechado e a fila crescia a cada instante...ficamos bem na frente conversando com o segurança e eu, tremendo de frio diziia "aiii, não ia abrir as 23:30???" E o segurança: mais 5 min! E nisso, com tédio/frio/ansiedade pegando resolvi iniciar um "tradicional" Parabéns a vc pra dar uma animada neh! Foi uma loucura só, a fila inteira cantando, os seguranças dando parabéns e agente só rindo da cara de pau que incorporamos...mesmo com tanta empolgação nada do lugar abrir..Aff cansei e disse "Tiooooooo, to com frio, me deixa entrar!!!!!!!" O segurança começou a rir e disse "Ahhh não, tio não! Meu nome é Boeira (what?)...mesmo não sabendo o que é pior, atendi ao pedido hehe e de brinde ganhei o casaco do Seu Boeira enquanto esperava na rua..
Entramos (os primeiros) o lugar era bem tri, mas estreito, então ficamos pelo barzinho e começamos a observar os frequentadores e tomar uns drinks ;) Juro que pensei, "caraaaa pq me arrumei tanto se aqui não tem hetero?" ahushausa Ahhh e diga-se de passagem, tinha uma homarada presença #que desperdício hihi
A música era ótima, apesar de eu não saber definir muito a ritmo, assim mexer as cadeiras não foi problema entretanto confesso que invejei o rebolado de muitoos bofes lá!
Posso dizer que foi uma festa muito divertida, melhor que muitas baladinahas "pop" que existem, com uma galera muito simpática, bebida acessível e bom atendimento...
Analisando tudo, o que mais me chamou a atenção foi perceber que naquela noite eu era a minoria, foi eu que tive que me adaptar em todas as circunstâncias, diferente do que ocorre nos lugares geralmente frequentados por mim . Outro sentimento que aflorou de maneira muito significativa foi a admiração. Admiração pelo respeito que eles transparecem e a vergonha, vergonha por presenciar tantos ambientes e comentários que agem com desrespeito à galera homo.
Fazendo um link com o papo, esse lance de espanto, preconceito, desrespeito ocorre também com outras "minorias" como, deficientes, grupos étnicos, gordinhos...Temos dificuldade de aceitar , conviver, compreender com o que é menos comum no dia a dia, e quanto a isso tem vários exemplos...Talvez isso ocorra pois muitos julgam um modelo de pessoa, pois um grupo de "uniforme igual" , com pensamentos semelhantes, dificuldades, habilidades e carências parecidas é mais fácil de controlar. A diferença exige mudança, algo que é cansativo quando os paradigmas já estão estáticos a muito tempo, porém, como toda evolução, acredito que as coisas tem se modificado, mesmo que a passo de formiguinha.

Bjinhoos!

Um comentário:

jefhcardoso disse...

A passo de formiguinhas, aprendendo sobre o respeito ao próximo.
Jefhcardoso do
http://jefhcardoso.blogspot.com